A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


sexta-feira, 9 de fevereiro de 2007

Passadeiras

Dado que agora moro a 20 mns a pe do trabalho, ando a confirmar umas suspeitas de algum tempo. A malta de ca, definitivamente, nao sabe o que sao passadeiras. Ou melhor, talvez ate saibam, mas ignoram descaradamente a sua existencia.

Tenho para mim que deve ser uma especie de pequenina vendetta mal direccionada contra os ciclistas. Uma vez que os ciclistas tem prioridade sobre os carros, estes, pelo menos, querem ter prioridade sobre os peoes. Como os peoes andam no passeio e os carros na estrada (elementar?!), so na passadeira e que ocorre o verdadeiro tira-teimas. Os carros vencem largamente, ate porque nenhum peao com dois dedos de testa tenta competir com um carro... quem fica com as pernas partidas ja se sabe quem e!

E assim, nem o meu truque que costumava funcionar (o de dar um passo em frente como se fosse mesmo atravessar para convencer o condutor do carro a parar) aqui resulta. Dou um passo, dou o segundo e felizmente decido sempre nunca dar o terceiro, senao ja tinha sido passada a ferro umas poucas vezes... as poucas vezes que, de facto, param, lancam olhares que nao tem outro significado que nao o de: "Nao podias ter passado um bocadinho mais cedo/mais tarde?!?" Peco desculpa...

Excepcao honrosa seja feita aos condutores dos electricos e dos autocarros. Esses param quase sempre.

5 comentários:

Emiele disse...

Nós temos o «vício» de criticar tudo o que se passa em Portugal (infelizmente, muitas das vezes com toda a razão) mas aqui está um ponto onde até se respeita a lei. Tenho um primo dinamarquês que a primeira vez que veio a Lisboa ficou admiradíssimo de ver os automobilistas alinhados atrás das passadeiras enquanto os peões passam - e às vezes, provocantemente, bem devagar!!!
(acredito que haja excepções, mas é a regra)

Jose Carlos disse...

Estou plenamente de acordo com o comentário emitido pelo(a) emile. Nós em Portugal que até somos abusadores em quase tudo, reconheço que no respeito pelos peoes e até pelo transito em geral, dão temos lições a receber de muitos paises. Posso testemunhar que em Paris onde estive uma semana, foi um caos. Até para estacionar empurram os carros aos poucos para encaixar os deles.
Em Espanha, na zona(Marbella)não vi respeito nenhum pelos transeuntes e, imagine-se na Noruega, país nordico com tantas coisas boas em termos de civilização, o transito pelos vistos ainda não faz parte do "sistema".

Tuxa disse...

Concordo com voces!! A 100%! Dai a minha surpresa em constatar que aqui a realidade e bem diferente!

Em Portugal, ha um cumprimento voluntario muito grande. E quando nao param logo, o truque de fingir que se vai atravessar na mesma resulta em 95% dos casos!

Nesse aspecto, estamos muito a frente destes tipos.
Beijinhos

Emiele disse...

José Carlos - [sou A Emiéle, já agora :D ] faltou-te um país inacreditável nesta campo - a Itália!!!!! Eu cá acho que aquilo só visto! É a gloriosa anarquia!!

Fernanda disse...

Não, não, o que vos falta a todos é ir a São Tomé e Principe. Aí só por milagre não somos atropelados. Não há cartas de condução, não há código, é safa-te como puderes. Pelo menos, era assim...