A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007

Dusselforf

No fim de semana de Carnaval, fui a Dusseldorf com o meu meia-laranja e com os meus pais. Em Dusseldorf festeja-se mesmo a serio, com bebedeiras de caixao a cova, todo o tipo de mascaras e musica (por esta ordem de importancia).


A parte antiga da cidade e muito gira, mas nao tem nenhuma novidade ou caracteristica que a distinga de outras do mesmo genero. O que tem de diferente, sem duvida, e o Reno! Enorme, majestoso, serpenteia pelas duas margens com uma velocidade vertiginosa. Gracas a um caudal acastanhado e baco, projecta uma luz diferente do habitual. Apanhamos 3 dias de nevoeiro, o que ajudou a criar uma uma imagem mais mistica.


Frio, humidade e frio para dar e vender, dentes a bater e maos a querer congelar, houve com fartura. E quilometros palmilhados... muitos. E boa disposicao, algumas compras e optima companhia.

Pode ser preconceito, mas o menos bom de Dusseldorf foram mesmo os Alemaes... nao sei porque, sao um povo com o qual nao simpatizo nem um pouco.

Ainda assim, foi um optimo fim de semana!














































2 comentários:

Anónimo disse...

Parece que foram uns dias bem aproveitados.
Em relação aos alemães não me posso queixar. Até porque um dos mes chefes é, e tenho outro a 5 metros de mim, no escritório.... ehehe

jose carlos disse...

Palmilhar kilometros. Faz-me lembrar outras terras, outras paragens em que me aconteceu o mesmo. Mas é a melhor maneira de se conhecer o que de melhor essas paragens tem para nos oferecer.
É sempre agradavel percorrer terras desconhecidas e, ainda melhor, quando as companhias são agradáveis.
Que tirassem o melhor proveito desse fim de semana e que as baterias ficassem recarregadas para mais uma temporada de rotina diária.