A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

As provas (parte II)

Depois de entrar no dito pavilhao, procurei a pessoa de contacto (Sonja), apresentei-me e pedi desculpas pelo atraso. Mandaram-me equipar.

Depois de vestida a preceito (menos os tenis de basket que ficaram em Portugal porque nao pensei que lhes fosse dar uso), la fui ter com a Sonja. Disse-me que existem 6 niveis no basket feminino e que por isso ia depender da minha prestacao o eventual nivel. Ate aqui, tudo bem.

1ª surpresa: nao ia fazer provas nenhumas, ia treinar com a equipa - nivel III (o treino todo) e depois logo se via...

2ª surpresa: o treino tinha comecado atrasado e por isso tinha pela frente uma hora e meia de treino!!!!

3ª surpresa: a minha posicao passou a ser extremo, quando sempre joguei a poste... estava a compor-se a desgraca.

Pois muito bem, aqueci, fiz os exercicios todos com a equipa, joguei, lancei (sim SK, lancei com os pes fora do chao, tem mesmo de ser que as tipas sao altas como o caracas!!!), corri (aquilo que os pulmoes permitiram) consegui fazer umas recuperacoezitas e ainda fiz um abafo!!! E aguentei-me o treino todo (se bem que a meio tivemos de passar de defesa individual para zona que eu ja nao me aguentava com aquele ritmo)!!!! Ooops!

1 comentário:

Jose Carlos disse...

Alguns comentarios sobre as incidências do teu deslocamento para o pavilhão. Nenhum para o teu esforço e entrega na prestação de prova. Acho injusto, por isso aqui estou a dar-te os parabéns pelo esforço, dedicaçã0o e amor à causa que quisestes abraçar. Continua com força e vencerás.