A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Coisas que a Vida em Amesterdão me ensinou (VII)

A apreciar mais certos momentos, que pela sua natureza, são raros.

Uma conversa a lareira, um abraço a um familiar que se calhar não se volta a ver, uma troca de olhares na altura certa, um beijo.

Tudo coisas que a proximidade torna menos visível. Quando achamos que o podemos fazer amanha, não o fazemos hoje de certeza.

2 comentários:

SZ disse...

pelo que li nas entrelinhas e la no fb pelo comentario ao nuno vais nao vais? tenho pena... por mim... por nao ter tido tempo de te conhecer pessoalmente!
um beijinho grande e tudo de bom! espero que continues com o blog porque nao vou querer deixar de perder pitada!
sonia

Rebelde disse...

O oporto do que se costuma dizer, mas uma grande e necessária verdade.