A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Coisas que a Vida em Amesterdão me ensinou (III)

Que a mudança e mais assustadora antes de tomarmos a decisão do que depois.

E faz-nos crescer tanto.

6 comentários:

Lewis disse...

Eu que sou tão resistente à mudança. Era uma cena que me faria muito bem. Mas esta instabilidade que atravessamos faz-me sempre prensar 2x (ou mais do que 2x.

Em suma, esse post é curto e grosso!Just on the spot!

Tuxa disse...

Lewis,
Só custa a primeira vez; depois apesar de haver sempre a apreensao normal, já nao tem comparacao. E a instabilidade e a crise tambem criam oportunidades. Nao tem de ser tudo mau. Eu acredito nisso.

Breaking disse...

Ola Tuxa,

Desejo-te as maiores felicidades neste novo desafio!
Faz tao bem a mudanca... :)

Anónimo disse...

Conta:) Gostava de saber, não porque te conheça, não porque seja mal-intencionada. Simplesmente, porque, sendo também uma semi-nómada, dá alento saber histórias de pessoas parecidas connosco; de pessoas que decidem arriscar uma nova mudança.
Boa sorte,
Paula

Tuxa disse...

Breaking,
Obrigada!

Paula,
Tudo a seu tempo, tudo a seu tempo. É só continuar a passar por cá... Obrigada!

India disse...

isso é bem verdade!