A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


terça-feira, 27 de março de 2007

Pessoas / Cidade (II)

Lembro-me de comentar que, para mim, um dos problemas de viver na cidade (em Lisboa), era o estarmos continuamente envolvidos no seu burburinho e stress... nao ha qualquer "almofada" entre o interior da casa e o caos. Assim que abrimos a porta da rua, o barulho e confusao atingem-nos como um murro no estomago. E somos imediatamente arrastados na corrente de pessoas que se apressam e correm... a qualquer hora do dia. Stressadas, sempre de semblante fechado e preocupado, parecendo atrasadas e preocupadas, aparencia pesada... diria que caminham com sacos de 100 kgs as costas.

E o transito e a poluicao tornam Lisboa uma cidade bem menos aprazivel do que aquilo que podia ser. Apesar de tudo isto, adorei o tempo que vivi no centro da cidade, mas tenho a certeza que tem potencial para ser muito mais convidativa.

Aqui, de manha, cruzo-me com meia duzia de pessoas no caminho, circulam dezenas de bicicletas nos seus caminhos proprios, as pessoas andam com ar relaxado e descontraido, nao se veem praticamente carros a circular... parece quase fim de semana. E, no entanto, as pessoas estao todas no trabalho, vieram de comboio ou bicicleta na maioria dos casos e tem um sorriso nos labios, olha-se para elas e ve-se que nao estao a passar por dificuldades, que, na generalidade, a vida lhes corre bem...

Essa diferenca nas pessoas e de tal forma chocante com o que via e vejo em Lisboa quando la vou que realmente nao posso deixar de pensar que o dinheiro pode nao dar felicidade, mas ha duvida que ajuda como tudo! Acredito que com um pouco mais de capacidade economica, muita da ma educacao, resmunguice, ma vontade e desalento que via tenderiam a desaparecer...

2 comentários:

bonifaceo disse...

O que falas era bom, quer dizer, para andar mais de transportes alternativos sem ser apenas o carro próprio não deveria ser necessário grande coisa, desde que fosse mais económico e tão rápido... o português é que é preguiçoso e burguês, o carro é mais cómodo.
Mas também, digo-te andar sempre de bicicleta, nem sempre é fácil, então quando chove...
Beijo.

Tuxa disse...

bonifaceo,
Bem, alem disso tudo, que nao deixa de ser a realidade, a verdade e que a geografia de Lisboa, com as suas 7 colinas, e bem diferente da de Amesterdao... bicicleta e quase impossivel em Lisboa...

Mas na verdade, estava apenas a dar umas "pinceladas" no quao diferente e viver no centro destas duas capitais. Ha muitos factores que explicam tanta clivagem e diferencas, que nao se explicam de todo com estes meus posts...