A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


sexta-feira, 12 de março de 2010

Pessoas

Eu gosto muito de pessoas. Mas tenho a impressao que cada vez gosto menos. Ou estou mais intolerante, ou mais observadora, ou as pessoas estao a ficar piores.

Exemplo:
7.30h da manha, Centraal Station (mega hora de ponta). 2 turistas acambarcam a maquina de bilhetes durante 5 mns por nao perceberem nada das instrucoes (em Ingles). Pedir ajuda? Naaa... Ir a bilheteira e comprar lá? Naaa... fazer crescer uma fila monstra de gente?! Yap!

Exemplo:
Comboio para Schipol, 7.50h (mega hora de ponta, mais uma vez). Sardinha em lata, nao há espaco para nada (tipo comboio da linha de Sintra as mesmas horas). Alguém manda uma valente b#*a, mal cheirosa que nao se aguenta. Ninguem se acusa, ninguem sequer faz cara de nojo ou enfado. Ninguem reclama. Parecia que nao se passava nada. Se calhar gostam...

Exemplo:
Controlo de seguranca no aeroporto (8.20h). Pede-se que tirem os cintos, blasers, sapatos, chaves e moedas, etc e tal. Fila gigante... toda a gente está a ser sujeita ao mesmo procedimento, a lenga-lenga é sempre a mesma. Mas há malta (muita, muita mesmo), que só quando lhes é dito na cara o que tem de fazer é que comecam a tirar o cinto, etc, etc... e tudo com um ar de enfado que nao se pode... acham mesmo que vao ser a excepcao?!?!?! Arre!!!!

Exemplo:
Escadas rolantes/tapetes rolantes. Meus amigos, o facto de as/os escadas /tapetes rolarem nao vos torna paralíticos... podem continuar a dar as pernas e subir/descer/andar . E ficarem no meio, parados, nao deixando ninguém circular também nao ajuda.

Estes exemplos aconteceram num intervalo de 1 hora. Há dias piores que outros, mas este tipo de comportamento grassa que nem a peste.... nao sei nao... ainda viro eremita!

4 comentários:

I. disse...

Parece de propósito para matares saudades da má criação e falta de civismo tuga. Os turistas não seriam compatriotas?

(no aeroporto eu começo a despir-me - salvo seja! - ainda na fila. os sapatos é que só tiro à boca da urna, mas em Lisboa não é preciso, não pedem. no Egipto é que se passava de cinto, garrafa de água, o que nos apetecesse. à confiança. afinal eles vêm rebentar-se é para cá, hein.)

Andorinha disse...

Não amiga, são os 30. Acredita. A nossa tolerância reduz para ficar ao nível de tudo o que deve ser sinónimo de inteligência e lógico!

Tuxa disse...

I.
A má educacao e falta de civismo nao existe só no sul da Europa. Aqui é igualmente escandalosa, mas um pouco mais disfarcada. As pessoas nao sao ostentosamente mal educadas, simplesmente agem como se só elas habitassem o mundo.

Andorinha,
Nao tenho dúvidas que ajuda. Imagino quando chegar aos 40...

void disse...

Tenho a dizer que os Portugueses podem ser maus em muita coisa, mas não suporto a mania dos Holandeses se meterem a conversar em pontos de passagem ou de tentarem ser os primeiros a entrar para dentro dos elevadores, trams (e basicamente qualquer coisa que tenha porta) sem deixarem as outras pessoas saírem primeiro.

Quanto à idade, talvez (não) ajude :)