A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


segunda-feira, 22 de março de 2010

my Amsterdam # 3

* Egelantiersgracht

* Vondel park

Depois de várias (demasiadas) semanas de interregno, volto a minha rubrica para 2010... e depois de o frio ter abrandado e a neve finalmente parado, já consigo escrever novamente sobre ela.
A minha Amesterdao é a cidade da neve. Obviamente que esta afirmacao é tola e exagerada, a neve nao cobre a cidade por mais do que 6/7 semana por ano, e muitas outras cidades há em que neva muito mais/mais tempo. Mas é a cidade que me ensinou a viver com neve. Antes de Amesterdao, neve era algo que via quando ia de propósito a Serra da Estrela. Ou que me surpreendeu numa viagem a Suica. Mas eram experiencias curtas, fugazes. O máximo que tinha vivido com neve, foi uma semana em Estrasburgo (com -16 a acompanhar).

Só aqui conheci a sensacao de acordar com os sons da rua abafados , e já sabendo o que me espera, espreitar e ver tudo coberto de um manto branco.

Aprender os truques para caminhar na neve ou sobre o gelo que se forma ao fim de umas horas, aprender que a solucao para nao cair é munir-me de um desnecessário guarda-chuva como bengala quando os saltos sao inevitáveis. Descobrir que um cachecol sobre o nariz é essencial para se conseguir respirar. Que sem luvas nao vale a pena por um pé fora de casa, mesmo que seja só para ir ali ao lado. Aprender que andar de bicicleta é ter desejos suicidas.

Descobrir o prazer de sentar-me numa esplanada aquecida a beber um vinho quente com especiarias enquanto vejo uma cidade tao diferente que parece outra.

Apreciar a beleza do manto.

Ver a transformacao na cidade, nos adultos e criancas.

Ver os canais gelarem.

2 comentários:

m.a. disse...

Tão bonito. Sua sortuda ;)

Rosé disse...

Gostei muito da descrição, adoro essa cidade. Bons passeios