A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


terça-feira, 22 de junho de 2010

Saramago

Gostava muito de encontrar a crítica literária que o meu irmao escreveu há uns anos a propósito do "Levantado do Chao". Foi algo que ele escreveu enquanto estava na faculdade e, desinspirado pelo curso de Economia, procurava escape nas palavras e livros. Nessa altura escreveu muita coisa que me emocionou e encheu de orgulho.

Sinceramente já nao me lembro bem do que dizia, mas sei que foi imediatamente após a ter lido que descobri Saramago. E me apaixonei pela sua escrita, sem vírgulas nem pontos.

Gostava de publicar aqui aquilo que o meu irmao escreveu, a homenagem que ele, há tantos anos, prestou a um vivo Saramago. Se os nossos artistas e escritores fossem mais apreciados em vida, talvez a sua morte nao levantasse tanta polémica estéril.

4 comentários:

Goldfish disse...

Vi esta tua última frase no Boas Intenções e, realmente, a Rita tem razão. É uma frase sábia.

Tuxa disse...

Goldfish,
Sabes que me custou ler tanta palermice a propósito da morte do Saramago? Quem paga o voo, quem vai ou deixa de ir ao funeral, se é cremado ou enterrado, onde ficam os restos... caramba! Eu adoro Saramago, mas conheco N pessoas que nunca conseguiram ler um livro inteiro dele. Conheco quem o adore como pessoa e outros que o achavam um "esquerdista/comunista" do pior, anti-católico, anti-portugues, etc, etc... nao me parece que nada do que ele tenha dito em vida sobre Portugal ou a Igreja nao tenha sido já repetida por outros "cidadaos normais" em conversas de bar e café. Nada do que ele disse o torna um monstro ou um papao. Por isso nao percebo tanta polémica da treta. Escreveu dezenas de livros que muitos consideram maravilhosos? Sim. Foi reconhecido internacionalmente por isso? Sim. Foi um cidadao que fez mais pelo reconhecimento de Portugal que 99% da populacao? Sim.
Nada disto foi reconhecido verdadeiramente em vida. E isso é que eu lamento. Perder tempo a discutir o acessório e o detalhe, perdento a capacidade de analise. Isso é que a malta gosta. Enfim!

bonifaceo disse...

Concordo com este teu comentário.
Nunca li um único livro do homem, e não posso dizer que concordo com tudo o que ele dizia, mas em relação à Igreja nem sequer achei escandaloso qualquer uma das opiniões dele, os católicos é que estão mal habituados. Acham que podem gozar com Maomé e Alá, mas ao contrário, algo a ver com a religião deles já não se pode dizer nada.
Vi uma entrevista sobre economia e outras coisas, talvez com um ano e gostei da cultura geral e o tipo de discurso que ele apresentava.

Enfim mesmo. É deixa-los falar. "Coices de burro não chegam ao céu".

MARIINHA disse...

Olá Tuxa,
Obrigada por ter passado pela Mansarda.
Quanto ao Saramago,não lhe foi dado o merecido reconhecimento por muitos portugueses.Veja-se a polémica do funeral.Pelo menos foi reconhecido internacionalmente em vida.
Espero que a Tuxa esteja a conseguir realizar com sucesso a empreitada que é ter esse tipo de trabalho que exige tantas saídas e o Master que está a tirar. Já não falta muito pois não?
Beijinhos