A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


terça-feira, 19 de junho de 2007

Descobrir

A cidade aos poucos da-me um prazer imenso.

Tem chovido todos os dias desde 5a feira passada, mas ontem, pelas 20.30h, a chuva de repente parou e deu lugar a um sol de Verao muito bom. Decidida a aproveitar "a aberta", vesti o meu impermeavel (nao fosse o diabo tece-las) e fui dar um passeio a pe por uma zona desconhecida. Aqui anoitece pelas 23.00h, o que da para aproveitar a luz do dia ate bem tarde.

Andei durante uma hora ao som do meu Mp3 e fiquei a saber que ha um restaurante de comida arabe muito conhecido e bem "criticado", nem a 20 mns a pe da minha casa, cuja existencia me era completamente alheia. Fiquei a saber que ha uma zona residencial girissima cheia de canais fora do centro que me pareceu muito aprazivel para viver. Descobri ainda que, mesmo sem mapa e depois de dar uma serie de voltas numa zona desconhecida, ja consigo voltar para casa a primeira tentativa.

Tuxa 1 - Amesterdao 0

7 comentários:

CAP CRÉUS disse...

Mas que grande vitória!
Há que fazer isso mais vezes! Aproveita.

chiqui disse...

AH GRANDE TUXA!!

Daquilo que eu mais tenho saudades e de viver numa cidade em que as descobertas se facam... a pe!
Infelizmente as minhas vitorias de orientacao, aqui n'america sao de carro :((

Tuxa disse...

A verdade é que às vezes temos prazeres tão perto e deixamo-los passar ao lado... eu própria o faço demasiadas vezes.

E realmente, ir descobrindo uma cidade a pé é extraordinário. Passa a ser não uma cidade, mas a "nossa" cidade.

Em Amesterdão não há mesmo razão para conduzir, se for muito longe para caminhar, seguramente não é para ir de bicicleta...

Thunderlady disse...

Passas a imagem de estares serena e descontraída, na fase seguinte ao "cheguei", "agora quero conhecer, pertencer.

Não te conheço, mas pareces feliz.

Anónimo disse...

Estive ai 7 dias no final de Maio e também tive um prazer imenso de descobrir cada rua,cada canal,cada edificio e com uma vontade imensa de conhecer os seus interiores,devem de ser fantásticos com as suas escadas muito ingremes os seus jardins e seus salões e aguas fortadas com tectos fantásticos, e o que mais me encantou foram essas janelas enormes que quase se rasgam até ao céu fazendo com que ele entre para dentro de casa e encha de luz o seu interior,foi tudo muito bem planeado os seus fundadores pensaram em tudo,e aproveitaram cada espaço com mil cuidados e muita beleza,só gostava de saber como é que toda essa gentinha se desloca nos dias frios e com muita neve,como é que essas velhas bicicletas andam, ou será que nesses dias opessoal vai a pé ou de electrico.Beijinhos da FIFI.è verdade andei tanto que gastei a sola dos meus sapatos.

Tuxa disse...

Thunderlady,
E nem de proposito, e assim mesmo que me sinto, numa fase serena e em paz. Adoro viver aqui e a escolha que fiz. Sinto-me realmente feliz. Bj grande.

Fifi,
Os Holandeses deslocam-se nos dias frios, de chuva ou neve da mesmissima maneira dos restantes dias: de bicicleta, a pe ou de transportes, dependendo dos percursos. Nada muda em funcao do tempo, por muito estranho que isso nos pareca. Eles estao habituadissimos e nem se ralam... quando neva, o sal ou areia (dependendo dos sitios) e rapidamente espalhado para facilitar o degelo e os limpa-neves andam sempre a trabalhar. E sim, as bicicletas sao velhas, mas andam todos os dias. E ve-se nos corpos dos Holandeses isso mesmo.

Breaking the Waves disse...

E é tão bom descobrir a "nossa" cidade.
Gosto muito de deambular pelo Funchal, apesar de que pela sua dimensão já não me perco... lol! Mas... sempre que o faço descubro algo de novo :D Sempre a pé, claro!!!
Estou desejosa de voltar a descobrir outras cidades :)) In time!!

Bjs