A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Tokyo - a comida

Tokyo é uma cidade cara.

Ponto assente nisto.

Muito cara.

Mas como em qualquer sítio, nao há nada como lhe conhecer as manhas. Ou aprende-las a custa da experiencia...

O truque em Tokyo é mesmo este: Espreitar pela janela. Se estiver cheio e com fila de espera (o que em Tokyo nao é complicado) de japoneses, é bom e barato (ou pelo menos, acessivel).

Se estiver vazio, é manter a distancia, pois será caro com toda a certeza e nao há garantia de qualidade. Caímos no primeiro dia no erro de seguir uma recomendacao do Hotel... estavamos com mais de 35 horas sem dormir em cima, arrasados e só queriamos jantar perto do hotel num sitio que fosse bom. O restaurante estava vazio mas entrámos na mesma. A comida era péssima e pagámos quase 50 euros. E nao passámos das entradas. Uma desilusao.

No entanto, e ao fim de uns dias, conseguimos jantar por 17/18 euros os dois consumindo uma quantidade de sushi, sashimi, temaki e outros quejandos que alimentariam uma família de 5! Nem queria acreditar! Eu perdi a conta mas acho que comi para cima de 25 pecas (que nao sashimi)... no comments ...
Decididamente, o meu intake de omega 3 esta semana foi um exagero! Devo ter comido para cima de 1 kg de peixe cru, entre atum, salmao, lula, polvo, sardinha, cavala, enguia, ovas... uma maravilha.
Os Yakitori também nao sao maus. Sao as espetadas de carne/peixe (cozinhado). Sabem bem e tal mas prefiro sushi. As tempuras também sabem bem, mas faz-me confusao comer comida "deep fried". O cérebro dá sinal que aquilo é péssimo e as papilas nao conseguem apreciar como deve ser...
Finalmente as sobas /udons (noodles) nao me convencem... no Japao sao muito sensaboroes. Prefiro as sobas que como no Wagamamma de cá. Temos pena, mas é assim mesmo.
Quanto as bebidas, provei a cerveja local (Kirin) que nao gostei. Mas eu nao gosto de cerveja nenhuma, por isso o meu nao gostar nao significa mesmo nada de nada!
Quanto ao sake... bem... posso dizer que sake quente nao gosto mas o sake fresco escorrega muito bem! Experimentei vários dias (em alternativa ao chá verde) e gostei bastante. Mas dá uma ressaca danada, principalmente quando se bebe até as 5h da manha e as 9h já se está a trabalhar... o que vale é que a idade ainda dá para enganar e recebi vários comentários de pessoas a dizer que estava com um ar muito fresco para quem tinha andado na rambóia até tao tarde (éramos um grupo de 8 pessoas). O resto da malta tinha um ar verdadeiramente lamentável e destruído!
Finalmente, o chá verde. O rei das bebidas no Japao. Maravilhoso! Adorei o sabor mais amargo que tem, o depósito que se forma, a cor verde profunda e fosca (adeus Lipton, nunca mais quero nada contigo!). Trouxe um carregamento (e uma chavena como deve ser para o beber) e vinha triste porque nao vai durar muito mas já me indicaram uma loja em Amesterdao que vende chá japones a seria! Estou contente...

6 comentários:

Tia Maria disse...

E qual é essa loja que vende chá verde em Amsterdão?? Esse tipo de informação é para partilhar, sff. lol

DRei disse...

Ha uma no Zeedijk perto do restaurante portugues. E essa?

I. disse...

Morria de fome, por lá, que odeio sushi, e tempura nem se fala. Há sempre a galinha teriaki.
Tenho muita invejinha é do chá. Adoro chá verde, quente ou frio, e gelado de chá verde é de morrer.

Tuxa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tuxa disse...

Tia Maria,
Tenho indicacao de uma loja na Harlemmerdijk que vende produtos asiaticos e da Natuurwinkel para roasted japanese green tea...

DRei,
Essa nao conheco, mas vou espreitar!

I.
Pois, se nao es fa de peixinho cru, estavas feita ao bife. Ha alternativas, mas nao tao saborosas, lol! Experimentei o gelado de cha verde do Haagen Dazs e foi para o lixo.... nao me convenceu! Acho que para mim so mesmo na versao liquida.

I. disse...

Experimentei o gelado num restaurante japonês (me mate não vive sem sushi. da última vez comeu uns 30 rolinhos e parou porque eu disse que era uma vergonha e o restaurante ainda acabava com o all you can eat). Muito bom, sabia mesmo a chá verde. Iam.