A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

A Tuxa e o Yoga (parte I)

(Prevejo a existencia de muitas partes a0 longo do ano, nesta saga...)

Decidi no inicio do ano que iria comecar a praticar Yoga. Por melhorar a postura, aumentar a flexibilidade e pelo badalado bem-geral de proporciona.

Ate agora confirmo apenas dores de corpo em sitios totalmente desconhecidos...

E se ha posicoes que nao requerem grande esforco, equilibrio ou flexibilidade, como estas...

Ha outras que sao totalmente impossiveis, para ja (a esperanca nunca morre)...




E a respiracao?! E outra aventura... a instrutora diz para inspirarmos e expiramos em profundidade e a mim so me apetece hiperventilar para conseguir manter as posicoes...



E claro, como toque final na tortura, as instrutoras quase so falam em Holandes, pelo que para alem de me esforcar nos exercicios, tambem tenho de me esforcar no entendimento. Na ultima aula tive um momento surreal. A morrer, a meio de um exercicio, a instrutora comeca a corrigir-me verbalmente para eu mudar a posicao do pe. Quanto mais corrigia, mais ela dizia que nao... afinal, era o outro pe! Cada vez estava mais torta... balhamedeus! Quem me manda meter nestes filmes?! (6a feira estou la batida outra vez...)

8 comentários:

Tuga em Londres disse...

Ah, eu a semana passada também fui pela primeira vez auma aula de Yoga para experimentar. Eu pensava que tinha uma boa elasticidade, mas depois desta aula, acho é que nao tenho elasticidade nenhuma no corpo! Incrivel. Toda a gente naquela aula desdobravam-se todos e eu ali a fazer umas grandes caretas. Aiiii que me doi! Mas apesar das dores do corpo gostei muito e apercebi-me de que preciso de ir aquelas aulas mais vezes. Forca aí com isso!

Anónimo disse...

Olá, pois como leitor do Correio da Manhã, fiquei curioso com o blogg e resolvi aceder. Impressionado é o termo. Além dos relatos exaustivos do dia-a-dia, as descrições são muito reais e pouco virtuais. Aqui estou eu em Viseu, a gerir umas poucas de empresas, no escritorio, fechado e a visitar a Holanda com os olhos da Tuxa, que é portuguesa e que tem tempo para tudo...vou continuar a assistir e a comentar. Fernando - Viseu

Lewis disse...

Pelo que percebi ao ler no blog, já te encontras em Holanda prai já há 1 ano e picos (corrige-me se tiver enganado)...Há quanto tempo anda a aprender Holandês? Tu referiste no teu blog, que 99,9% do people fala inglês, mas claro que em Roma sê romano. Eu quando tive em Amesterdão, ouvia o Holandês e pareci mistura de Alemão, Inglês e as vezes até parece que me soava a Português. Ouvi dizer que para os turistas, eles dão "desconto" e falam o Inglês. Mas se tu tás já lá a viver, dizem que tem que se mesmo aprender a falar a língua local???!!!

Tuxa disse...

tuga em Londres,
Benvinda! Como te compreendo... temos de persistir! Daqui a uns meses ja temos uma conversa diferente!

Fernando de Viseu,
Nao e fantastico?! Eu adora fazer precisamente isso em relacao a outros blogs de portugueses por esse mundo fora!
Sera sempre bem vindo para acompanhar as aventuras e comentar, claro!

Lewis,
Percebeste bem, estou aqui desde Out. 06 (oh senhores que o tempo voa!)...
Sim, apesar de praticamente toda a gente falar Ingles, ficam um bocado com ma vontade em relacao a quem nao fala uma palavra de Holandes quando ja ca vivem ha muito tempo (2/3 anos). Nao nos supermercados ou cafes, claro, mas ao nivel dos relacionamentos privados.
Eu tive 6 meses de aulas e consigo perceber a maior parte do que me e dito e consigo falar (se a minha vida depender disso, mas a vergonha impede-me de ser mais "mandada para a frente"). A lingua e realmente uma mistura e nao e nada facil, mas ca vivendo, nao e tao dificil quanto isso. Tem e de se ter forca de vontade. Mas eu acho que vale a pena. Eles ficam todos contentes e cheios de boa vontade ao verem um estrangeiro a arranhar a lingua deles!
E como bem notas, em Roma, se Romano.

Anónimo disse...

Olá Tuxa, não te deixes enganar pelos numeros. Em Portugal ainda há muita oportunidade e empregabilidade, os ordenados é que não são grande coisa, mas ... a malta aguenta. Tenho conhecido portugueses em muitas partes do mundo, até na Patagonia Chilena, e o que observo sempre é a eficacia dos mesmos nos meios em que estão inseridos. Dedicação essa que por vezes não acontece em Portugal. De qualquer forma, tens que ter cuidado com os Holandeses, pois eles na época dos descobrimentos não eram muito nossos amigos, mas já devem estar melhor hoje... ( a brincar ). Adorava visitar a Holanda ainda este ano, é possivel que te peça algumas informações, se não te importares. O meu mail é fernando.cardoso@visar.pt. Não tenho msn, nem blog... Fernando-Viseu

I. disse...

Andava eu a arranjar coragem para me meter no ioga ou no pilates... ui, é que eu não sou desportista, e não tenho grande flexibilidade! Acho que acabo pior do que começo ;) medo...

Anónimo disse...

Também andei no yoga,gostava,mas tive que desistir porque exige muita força de mãos e eu não podia fazer devido a problemas no canal.A parte da descontração até dava para adormecer com as palavras do professor,com o tempo vais gostar muito,e então a parte da respiração vai ficar para toda a vida, beijinhos e continua FIFI

JoanaM disse...

Eu por enquanto ainda estou céptica quanto às horas de saída do trabalho (que começa 2f), porque em PT, como consultora, o único horário em que conseguia fazer desporto era às 7h da manhã, por isso conseguia fazer natação ou hidroginástica, mas ioga não dava. Se der para ioga, quero experimentar! Já há muito tempo que queria e acho que tenho elasticidade, mas já percebi que pode ser um pensamento "enganado" :)
E preços? Exorbitante por mês? Ou por aula?