A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Juventude Portuguesa em fuga

é o que se pode ler no título abaixo...


No Volkskrant (um dos jornais diários Holandeses mais lidos) saiu uma notícia hoje sobre a vaga de emigracao portuguesa entre os jovens. Segundo o jornal, mais de 700.000 jovens sairam de Portugal entre 1998 e 2008, ou seja, 6,5% da populacao nacional. O jornal refere que desde os anos 60 que nao se assistia a tal exodo.

9 comentários:

Thessa disse...

faco parte desse numero.

Andorinha disse...

No mês passado entrou um Português pra IBM, este mês outro, e em Janeiro vem outro. Todos na Holanda e no meu edifício onde, da nossa idade e geração emigracional, só éramos 3. Há q ver q na minha empresa há 4 mil empregados, logo 3 é ridículo. Fora os que eu possivelmente desconheço. Cada vez nos ouvimos mais na rua, os meus amigos estão todos espalhados por aí, e já disse que um dia destes vou a Londres visitar o pessoal em vez de ir a Lisboa.
Eu não sei se somos 6,5%, acredito que sim. Sei que todos nós gostamos de PT e queremos voltar, mas assim não dá, de momento. Estando cá agora uns tempos posso-te dizer: é ver os nossos telejornais e ter vontade de chorar, e olha que eu sou optimista. Nunca fui de comentar política, mas o que se passa no governo actual é tão miserável e vergonhoso para todos os políticos que eu só posso depreender que quem valia alguma coisa está nos 700 mil, pq cá, de certeza que não. Pronto, já desabafei.
Ah, falta-me uma coisa: pq raio estão as nossas duas moças de aspecto tão tuga e até giras as miúdas, agarradas ao chapéu de chuva como se nao houvesse amanha?!?!

Goldfish disse...

Se são 6,5% da população, imagine-se quantos por cento serão da faixa etária jovem! Isto por cá está um bocado assustador, está.

Sãozinha disse...

Números impressionantes. No entanto, Portugal e o seu tecido empresarial têm de compreender e adaptar-se às maiores qualificações dos seus futuros empregados, sob pena de, daqui a uns tempos, já não sobrar muita gente para poder assegurar tarefas de quadros superiores. Claro que isso não se faz rapidamente, mais uma geração e talvez se enraíze a ideia de que os licenciados são necessários e devem ser bem pagos.

Muito dificilmente as pessoas voltarão, porque ninguém quer vir, com um bocado de sorte, fazer parte da geração mil-eurista, completamente à rasca.

SZ disse...

e porque sera?

Tuxa disse...

És tu e eu,Thessa. Chegámos aqui com uma semana de diferenca!

Andorinha,
Somos de facto cada vez mais a sair, basta vez o tamanho que o "grupo tuga" tinha em Amesterdao há 5 anos.

Goldfish,
Pois, é isso que leio e é isso que todos me dizem. Que depressao!

Sãozinha
Nao podia concordar mais. Há um desfazamento que tem tem de ser resolvido sob pena de só uma meia-dúzia de licenciados permanecerem...

SZ,
Eu nao sou economista e nao me atrevo a alvitrar A solucao, mas parece-me que a nossa classe política neste momento é muito fraquinha. Nao é só isso, mas também é muito isso. Porque sao eles que dao o exemplo (ou falta dele) nas tricas e politiquice baixa, na falta de acordo para as medidas que sao necessárias.

Rui Martins disse...

Estive 3 anos na Holanda, voltei para Portugal e o meu "estatuto" está diferente.

Como já estive "lá fora", agora tratam-me de maneira diferente.

E ganho quase o que ganhava na Holanda. Ninguem entende esta gente, definitivamente.

Rubi disse...

Eu também faço parte!

AEnima disse...

Eu sai... tentei voltar... e apanhei tanto pontape que sai de novo. A mentalidade portuguesa esta podre. Ja nao consigo trabalhar la. Portugal afunda-se... custa ver, nao fosse por alguns ainda la, nao tinha pena nenhuma.