A vida em Amesterdao



Nao o retalho da vida de um medico, mas o retalho da vida de uma portuguesa na terra dos diques, bicicletas, tulipas, moinhos, queijo... e sim, das drogas e do Red Light District tambem.


quarta-feira, 18 de junho de 2008

O regresso

Foi relativamente calmo.

No dia em que voltei fiquei logo "retida" no aeroporto para ver a 2a parte do jogo Portugal - Rep. Checa., que comecou enquanto o aviao estava no ar. Felizmente, a minha mae, sempre diligente nestas coisas, mandou sms e assim que liguei o telemovel (ainda no aviao... eu sei, menina feia) fiquei logo a saber que tinha terminado a 1a parte e que havia empate 1 - 1. Comentei o facto com a minha parceira de voo e a noticia comecou a espalhar-se no aviao como um rastilho de polvora... tipico! Estava tudo em pulgas para saber o resultado.

Entretanto tive a visita de uma antiga colega de trabalho e o meia-laranja tambem, por isso tivemos um fim-de-semana bastante ocupado.

E recomecei a ir ao ginasio, recomecei a trabalhar, recomecei a acordar as 7h da manha para trabalhar e a ter de fazer aquelas coisas chatas da lida da casa... mas porque e que nao tenho 50 dias de ferias por ano?!

1 comentário:

MB disse...

Não resisti a continuar a ler. Só para partilhar: vi os últmos 10 minutos do Portugal-Alemanha no aeroporto de Boston. Portugal perdia 3-1 e estava doido porque aquilo não andava nem desandava. Há um alemão que se chega ao pé de mim e começa a dizer que Portugal é que é bom, que a equipa é melhor. Não lhe liguei, a minha mulher (diplomata como sempre) lá foi conversando com ele...

Enfim, foi durinho, mas era só para dizer que, ao contrário da Holanda, os americanos, claro, não estão nem aí... A não ser nos bares irlandeses, claro!!